A história Presente

A história Presente
História na veia

Seguidores

terça-feira, 4 de maio de 2010

América Espanhola

Para ouvir a musica, aperte o play.




"Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta"


Para compreender a sistematica dessas três civilizações, visualize os slides ao lado.

América Pré Colombiana: A era pré-colombiana incorpora todas as subdivisões períodicas na história e na pré-história das Américas, antes do aparecimento dos europeus no continente americano, abrangendo desde o povoamente original no Paleolítico Superior à colonização européia durante a Idade Moderna. O termo pré-colombiano é frequentemente utilizado especialmente no contexto das grandes civilizações indígenas das Américas, como as da Mesoamérica (os olmecas, os toltecas, os teotihuacanos, os zapotecas, os mixtecas, os astecas e os maias) e dos Andes (os incas, moches, chibchas, cañaris). Muitas civilizações pré-colombianas estabeleceram características e marcas que incluiam assentamentos permanentes ou urbanos, agricultura, e arquitetura cívica e monumental e complexas hierarquias sociais. Algumas dessas civilizações já tinham desaparecido antes da primeira chegada permanente dos europeus.






Aztecas - México: Os astecas foram uma civilização mesoamericana, pré-colombiana, que floresceu principalmente entre os séculos XIV e XVI, no território correspondente ao atual México. Na sucessão de povos mesoamericanos que deram origem a essa civilização destacaram-se os toltecas por suas conquistas civilizatórias, floresceram entre o século X e o século XII seguidos pelos chichimecas imediatamente anteriores e praticamente fundadores do Império Asteca com a queda do Império Tolteca.O idioma asteca era o nahuatl, eles foram derrotados e sua civilização destruída pelos conquistadores espanhóis comandados por Fernando Cortez.


Incas - Peru: A civilização inca foi uma cultura andina pré-colombiana e um Estado-nação, seu periodo na América do Sul data aproximadamente cerca de 1200 até à invasão dos conquistadores espanhóis e a execução do imperador Atahualpa em 1533. O império incluía regiões desde o extremo norte como o Equador e o sul da Colômbia, todo o Peru e a Bolívia, até o noroeste da Argentina e o norte do Chile. A capital do império era a atual cidade de Cusco (em quíchua, "Umbigo do Mundo"). O império abrangia diversas nações e mais de 700 idiomas diferentes, sendo o mais falado o quíchua.


Maias - América Central: A civilização maia foi uma cultura mesoamericana pré-colombiana, notável por sua língua escrita (único sistema de escrita do novo mundo pré-colombiano que podia representar completamente o idioma falado no mesmo grau de eficiência que o idioma escrito no velho mundo), pela sua arte, arquitetura, matemática e sistemas astronômicos. Inicialmente estabelecidas durante o período pré-clássico (2000 a.C. a 250 d.C.), muitas cidades maias atingiram o seu mais elevado estado de desenvolvimento durante o período clássico (250 d.C. a 900 d.C.), continuando a se desenvolver durante todo o período pós-clássico, até a chegada dos espanhóis. No seu auge, era uma das mais densamente povoadas e culturalmente dinâmicas sociedades do mundo.

Estrutura Econômica: o modo de produção era comunal, com ênfase para a agricultura de subsistência: milho, batata, cacau, feijão, abóbora, além de atividades de extrativismo para fins comerciais.

Imposição de Tributos: aos povos conquistados.

Realização de Obras Hidráulicas: modo de preparação despótico-tributário (Brasil) e o modo de produção asiático - Egito.

Estrutura Social: a estratificação da sociedade era uma divisão em forma de estamento:
Imperador: era conhecido como deus sol.

Elite Aristocrática: era guerreira.

O resto era composta por: sacerdotes/ magos, camponeses, e servos do Estado (escravos).

Estrutura Religiosa
Eram politeístas, os deuses pré-colombianos estavam associados aos fenômenos da natureza: sol, lua, chuva, raios. Os incas e astecas realizavam sacrifícios humanos com virgens.

América Colombiana Séc.XV e XVI, respectivamente 1492 a 1513.

Os Conquistadores: Foram os responsáveis pelo genocídio dos povos pré-colombianos.


Francisco Pizzaro: Foi um conquistador e explorador espanhol, entrou para a história como o "conquistador do Peru", tendo subjugado o Império Inca; no dia 16 de novembro de 1532, Pizarro com sua pequena força expedicionária chegou a Cajamarca onde, deixando seu exército fora da cidade aceitou o convide do imperador Atahualpa para um jantar no qual assassinou sua pequena guarda de honra e fez o próprio imperador seu prisioneiro. No ano seguinte Pizarro invadiu Cuzco com tropas indígenas e derrubou o Tahuantinsuyu (império inca). Julgando que a capital Cuzco estava muito distante e muito acima no altiplano, Pizarro fundou a cidade de Lima no dia 18 de janeiro de 1535, prosseguindo em árdua campanha pois as forças Incas tentaram retomar Cuzco sendo derrotadas por Almagro que, por isto, julgo-se em condições de tomá-la para si, gerando uma disputa com Pizarro que o derrotou e executou em 1538 na cidade de Ute.Entretanto, partidários de Almagro assassinaram Pizarro em 26 de junho de 1541.


Hernan Cortez: Foi um conquistador e explorador espanhol. Conquistou o centro do atual território do México a favor da coroa espanhola, particularmente Cortez foi diferente de seus antecessores que não procuravam saber nada sobre os índios, ele tinha uma percepção política e histórica de seus atos; foi atribuido a Cortez a invenção de uma tática de guerra de conquista e por outro lado a invenção de uma política de colonização em tempos de paz.Quando chegou ao México Montezuma era o imperador dos astecas e acreditou que Cortez era o Deus Quetzalcoatl que voltava do exílio para vingar-se; sua chegada no México ocorreu 1519 e coincidiu com a data precisa do calendário maia que indicava a chegada do deus Quetzalcoatl para reclamar a cidade de Tenochtitlán. Empenhado em conquistar o Império Asteca, queimou as naves para não voltar atrás e neutralizou a frota enviada contra ele. Auxiliado por sua amante nativa Marina de Viluta fez pactos com os povos inimigos dos Astecas e criou uma rede de alianças que assegurou sua vitória e a tomada de Tenochtitlan.
Cortés entrou em 9 de novembro de 1519 na cidade de Tenochtitlán depois de ter fundado Vera Cruz, em 1520 aconteceu a chamada Noite Triste (de 30 de junho a 1 de julho de 1520) com a morte de Montezuma, que, segundo cortés, foi atingido por uma pedra quando tentava acalmar seu povo, acabou morrendo três dias depois em razão do ferimento. Em 1522, Cortés venceu os Astecas e destruiu Tenochtitlan, em 1525 foi executado o último rei asteca. Carlos I porém, não estava satisfeito com ele e o criticou, em 1527 a Audiência do México assumiu o poder político e em 1535 foi estabelecido um vice-reinado.


Diogo de Almagro: Era um espanhol conquistador e companheiro, depois rival de Francisco Pizarro, ele participou da conquista espanhola do Peru e é creditado como o descobridor europeu do Chile; em 1525 ele se juntou ao irmãos Pizarro e Hernando de Luque no Panamá para a conquista do Peru.




Estruturas Espanhola

3.1 Estrutura Política - Conselho Real das Índias: comandava os Cabildos (eram iguais as câmaras municipais existentes na América portuguesa), as Casas de Contratación, os Vice-Reinados e as capitanias. Este órgão era o mais importante nas questões administrativas do império espanhol, tanto nas Américas quanto na Ásia por combinar funções legislativas, executivas e judiciárias.


Estrutura Econômica

Imposição do Mercantilismo: capitalismo comercial com ênfase para a mineração: ouro e prata, policultura e pecuária.

Cobrança de impostos: mita e encomienda

Mita: usado pela civilização inca, o índio saía de sua tribo por um período de tempo para uma região mineradora onde recebia um salário irrisório (se não morresse) e se conseguisse sobreviver, voltaria para casa.




Encomienda: era arrancado de sua tribo a força e levado as minas onde trabalharia até a sua morte.




Estrutura Social

Nesse sistema começam a se formar os novos sistemas sociais:

Chapettones: eram os espanhóis nascidos na metrópole, monopolizavam todos os cargos da esfera política.






Criollos: eram os espanhóis nascidos nas colônias, controlavam a estrutura econômica, porém não tinham acesso aos principais cargos públicos com exceção dos cabildos.




Capatazes e Feitores: eram mestiços frutos do cruzamento de índios e espanhóis, ocupavam funções secundárias dentro do contexto sócio-econômico.



Servos e Escravos: era a população dominada e explorada, submetida ao pagamento de impostos, mita e encomienda.






Estrutura Religiosa

Era a imposição do monoteísmo através dos padres da Cia. de Jesus, sendo estes os responsáveis pela difusão do eurocentrismo.
Independência do Brasil

Antecedentes históricos: metade do séc. XVIII


► expansão napoleônica.

► atrito com a Inglaterra.



► derrota francesa no Canal da Mancha.





► Napoleão impoe o bloqueio comercial e continental contra a Inglaterra.




► 14 de julho de 1787: Queda da Bastilha.






► 10 anos depois em 1799: início da Revolução Francesa.






► Napoleão invade Portugal.








► é assinado o Tratado de Fontainebleau em 1807 entre França e Espanha numa convenção secreta.






► a família real portuguesa foge para o Brasil com o aval britânico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário